terça-feira, 22 de junho de 2010

Timidez

Ter filhos e viver a vida de novo, só que olhando de fora.
No dia a dia, nunca fui tímida, mas em situações estressantes, me lembro de me recolher, as vezes chorar e ainda é assim.

Tenho uma foto do dia da minha primeira quadrilha onde apareço tomando um copo de refrigerante e chorando porque amarelei.
A foto demonstra toda minha agonia e decepção por não ter conseguido fazer o que tanto havia treinado para fazer.
Umas vezes consegui, outras vezes não.

Minha caçula não é nada tímida, a não ser em momentos de stress como eu. Não sei se realmente é timidez, mas até ter intimidade com o local ou com a situação, ela se recolhe.

Mas a demonstração mais clara da genética veio há dois dias através do meu clonezinho primogênito, em sua primeira quadrilha.

Quinze dias antes, ele começou o ensaio e não queria de jeito nenhum dançar. A menina, apesar de eu achar uma excelente nora, não lhe agradava e ele tinha vergonha demais. Eu e meu marido conversamos muito com ele. Explicamos que era um momento gostoso da vida que ele deixaria de viver se não participasse. Falamos do que sentíamos na idade dele e o apoiamos. Pedimos que ele desse uma chance, ele deu.

Mas na hora de dançar o menino, que estava lindo diga-se de passagem, travou. Não sorria, não se movimentava normalmente, não nos escutava, parecia estar em choque. Mesmo assim dançou com sua parceira desinibida e sorridente.

Quando terminou, por causa da copa, posaram para foto com uma bandeira do Brasil. E advinha onde estava o meu filhão em todas as fotos: atrás da bandeira! Claro! Eu tirei algumas fotos esperando que estivesse enxergando mal, mas tudo que dá pra ver dele são quatro dedinhos.

Não posso deixar de dizer que fiquei orgulhosa, que ele superou meu comportamento na mesma idade e que nossa conversa foi determinante para que ele conseguisse.

E é assim de desafio em desafio, que aprendemos a ser pais e a conquistar as pequenas vitórias que nos transformarão em grandes homens.

Um comentário:

Ju Dalzoto disse...

Oiii

Menina, adorei o post!
Mãe é assi mesmo, neh, sempre incentivando, apoiando... desejando o melhor para o filho. A gente dá segurança, transmite confiança. Eles sentem!

É tão bom neh! Parabéns por ser essa mãezona aí!!!

E quando der, posta uma fotinho dele no arraial pra gente ver ;)

Bjokas e uma ótima quarta pra vcs ;)