sábado, 28 de novembro de 2009

Meu kakau

Era uma tarde como outra qualquer em que senti saudade de ser um pouco mais mãe do meu Kakau.

Quando ele nasceu há 7 anos, minha vida mudou completamente. Dormi menina e acordei mulher. Devo muito do que sou aquele menino. E lhe confessei “Você me fez mãe”, abriu um sorriso, olhou-me nos olhos, silenciou e me abraçou.

Este pingo de gente foi o melhor amigo que tive na vida até hoje. Passamos barras pesadas, algumas só nós dois, e suas palavras consolaram e reergueram como ninguém mais poderia.

Quando nasceu, eu escrevi um caderno para ele, falando sobre meus sentimentos, a dor de ter que trabalhar com ele tão novo, o quanto meus seios cheios doíam, o amor que ele trouxe à minha vida. Escrevo muito pouco agora e ainda tenho que dividir com os escritos para sua irmã, mas o caderno dele está bem mais grosso...

Então decidi que o buscaria no colégio para fazer um programa de mãe e filho, só nós dois.

Fizemos compras, corremos na rua, coloquei-o um pouquinho no banco do carona, andamos abraçados, de mãos dadas, e, quando corremos brincando, ele me olhou nos olhos como quem me dizia “Você esta particularmente legal hoje”...

Fomos então ao shopping, comemos a pizza vegetariana que ele tanto ama e em seguida fomos ao parque de lá. Ele escolheu ir naquele brinquedo grande que tem piscina de bolinha, escorregador, pula-pula, etc. Foi o momento mais comovente.

A cada passo que ele dava, seja no escorregador, na piscina de bolinha ou no pula-pula, ele me fitava para ver se eu estava olhando pra ele. E sempre estava. Aquele riso lindo não saía de seu rosto e pensei o quanto orgulho tenho, o quanto de gratidão tenho por ter sido escolhida sua mãe nesta vida. Meus olhos então se encheram de lágrimas felizes.

Ele está crescendo. Sua pele ainda é macia, mas ele está crescendo.

Hoje ele está melhor do que ontem e amanhã estará ainda melhor.

Toda a força que tem cresce junto com seu tamanho. E a sensibilidade, e a inteligência e a disposição também.

É uma dádiva ter filhos, mas é uma honra ser a mãe do Kakau.

6 comentários:

Maíra disse...

Que lindo, Dydy. Fiquei emocionada com seu post!

Ah, e como eu ñ ando entrando no MSN, vou te falar por aqui mesmo: eu e a Paula vamos ter nossos filhos através de FIV, com doador anônimo. Desde que começamos a namorar já decidimos isso. Ainda precisamos guardar dinheiro para a FIV e tudo o mais, por isso acho que só teremos nosso primeiro filho daqui uns 4 ou 5 anos. :)

Bjos

Adriana ,Sofya e Emanuelle disse...

q lindo post!

diariamente agradeço por ter sido escolhida tb


bjs

Bruna ;0) disse...

Lindo demais seu post!

Assim fico (com ainda mais!!) vontade de ter um baby...

Sua familia é linda, viu?

bjss

http://brunadooutroladodooceano.blogspot.com/

cida disse...

Dydy, antes de chegar até aqui já te admirava, agora te admiro ainda mais, estou postando aqui, porém minha leitura foi além!

Chorei, normal, tenho a sensibilidade
a flôr da pele!

Mamae Dydy disse...

Obrigada pessoal!!!
Bom saber que nem nem nem Lenon nao eramos the only one1 rs
Bjks

Flavia Penido disse...

Dydy o s filhos mais velhos ficam tâo felizes quando tem uma atenção só para eles...fiquei com saudades da minha pequena grande Sofia que foi dormir na casa da amiga e anda crente que é gente grande com seus poucos nove anos...bjs