quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Crianças Enoooooormes!

Há algum tempo, em algum lugar no espaço, dizia-se que crianças bonitas eram as gordinhas, bochechudas, “criadas a Toddy”. Apesar disso ter deixado de ser exigido a qualquer preço – leite de vaca por exemplo – como antigamente, ainda esperamos que nossos filhos tenham pelo menos um pouco de gordura a mais – como reserva – pro caso de adoecer e emagrecer....

Pensamento pessimista “já que tem que adoecer...” Ops

Mas o que está na última moda mesmo é ser grande, alto, superlativo. Que orgulho é um filho ser o maior da turma!

É claro que as crianças de hoje são maiores do que as de ontem. Também, nunca se comeu tanto hormônio!

“Os fracos usam a força, os fortes, as idéias”.

Alguns pais vão mais longe e orgulham-se até mesmo da agressividade dos filhos. “Aqui, bateu, levou. Meu filho não é otário, não é saco de pancada. Se bater, vai apanhar e se apanhar na rua, apanha de novo em casa pra aprender a se defender”. Grandes lições ensinadas pelos próprios pais...

Insistimos em crer que a personalidade dos filhos é praticamente fruto do acaso ou dética. Jamais produto da negligência e dos inofensivos desenhos matutinos. Os Bem 10 tem mais influência sobre as crianças do que os próprios pais.

Parece que as crianças serão o que a sorte desejar, serão como tiverem que ser e, dar boa comida, escola, brinquedos e uma excelente babá, é tudo que podemos fazer por eles.

O que alimenta o menino não é comida, é carinho. E aí tanto faz ser o maior ou o menor da turma desde que possua a maior saúde e o maior amor.

Podemos sim interferir na construção da personalidade de nossos rebentos. Aliás, devemos influenciar, dentro do possível, positivamente, dando exemplo, nos desculpando, sendo sinceros, instrumentalizando, amparando e incentivando.

Crianças só ligam demasiadamente para brinquedos, quando falta-lhes algo dentro de casa e dentro de si.

Ser baixinho, ser mognonzinho nem qualquer característica física deveriam ser encarados como pejorativo ou com deboche. Esta é o pior detalhe da infância.

O respeito deveria ser natural e intrínseco. Deveria vir de berço. Em detrimento disso, o que vem de berço desafortunadamente são os piores defeitos.

A avaliação de uma criança deveria ser pela saúde, alegria e sabedoria; não pelo dinheiro, status e tamanho.

Pais, tenham orgulho das qualidades internas de seus filhos. Tudo que está fora de nós é passageiro, morre. Mas o que é construído com boa vontade e carinho, é bom, cresce, se alastra e faz feliz tudo ao redor.

2 comentários:

Maíra disse...

É... seria muito bom mesmo se os pais agissem assim como você sugere. Tenho medo de como serão as gerações futuras, com essas crianças totalmente "desvirtuadas" que vejo hoje em dia. Triste.

Mamae Dydy disse...

As geraçoes "futuras" ja estao ai. Mimada, egoista, superficial. Ser o Ben 10 é o objetivo mor dos meninos.
Nem as crianças demonstram sinais em massa de que podem mudar o mundo. por isso fico tao triste e por isso rego minhas duas sementinhas aqui. rs
Bjks