sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Quarto do Bebê

O blog pessoal anuncia a gravidez. O extra, a primeira foto da barriga. O vídeo show acompanha a primeira compra para o enxoval. Domingo no Faustão, a nova mamãe chora no arquivo confidencial. No “Estrelas”, ela mostra o quarto do bebê. O babado publica que a famosa mamãe aguarda até o último momento o parto normal. E logo está em todos os jornais que o médico teve que fazer uma cesárea de emergência porque o cordão estava enrolado no pescoço ou porque estava passando da hora ou qualquer coisa assim.

Será que estes profissionais acham mesmo que todos engoliram este cordão?

Não podemos julgar as pessoas porque só elas sabem pelo que passaram. Não é justo julgá-las, mas é um exercício de reflexão e amadurecimento esmiuçar os fatos. E até ser objetivo concluindo “Isso não serve para mim”.

Muitas grávidas vêem o parto como algo muito distante, quase não pensam sobre o assunto durante a gravidez, senão lá pelas 32 semanas. E aí não leu o suficiente, não tem coragem de mudar de médico nesta altura do campeonato, não tem apoio familiar se quiser fazer diferente, além de toda responsabilização pela vida do bebê se seus planos para o parto “falharem”.

Ok, Dá para compreender achar que parto normal é fácil e qualquer médico irá “fazer”.

Mas então por que se pensar tão cedo, por exemplo, na decoração do quanto do bebê? Por quê pelo menos uma vez tem um casal grávido na Caras apresentando o quarto de seu bebê, sem uma frase sequer sobre a maneira como estas crianças serão recebidas nesse mundo, alimentadas, educadas, amadas...

Há também quem diga que não tem dinheiro para o parto quando gasta uns milhares de reais com decorador, mobília, enfeites. Mais tarde será com a “enfermeira” que dormirá no quartinho do bebê que afinal precisa ter independência....

Que uma coisa fique bem clara: o bebê não está nem aí para a cor do quarto. O bebê não se importa com os bichinhos. O bebê não necessita de berço e sequer de quarto. O bebê precisa de um nascimento digno, precisa de afago, de calor, de peito, de dedicação, de entrega. A babá não fará melhor do que a mãe, o médico não fará o parto melhor do que a mãe, e ninguém, por mais insegura que esta seja, terá mais carinho e importância para o bebê do que a mãe que Deus lhe deu.

Então nos preocupemos com o profundo e deixemos de lado o superficial.
Isto não é uma opinião pessoal. É só parar para refletir. Seu filho não liga para mais nada, além de você.

2 comentários:

Maíra disse...

Muito bom!!!

Adoro seus textos!

Dri Viaro disse...

Oi, a Fran indicou seu blog, e vim conhecer ;)
bjssss

vem me conhecer tb