sexta-feira, 17 de julho de 2009

Com o Rei na Barriga!

Estar grávida é estar em estado de graça.

Claro que infelizmente nem todas verão desta forma, porque nem todas estão preparadas. Mas em essência, é um momento muito especial da vida de qualquer mulher.

Para algumas, o prazer de gerar traz beleza, luz, experiências indescritíveis, outros valores. Mas o que mais aflora são as coisas que não podemos palpar: instinto, sensibilidade, maturidade, amor incondicional, felicidade e sonho.

Só dá pra entender os sentimentos de uma mulher gestando, sendo uma delas. Querer que o mondo pare para sentir a barriga mexer (nada mais justo!); reaprender a fazer tricô ou admirar bebê de revista... Pensar em assuntos que não faziam sentido até agora, abrir mão, começar a levar tudo mais a sério... Coisas que ninguém mais entende. E só a maternidade pode fazer isto por nós.

Sortudos dos profissionais sensíveis que podem reviver estes momentos toda vez que uma cliente engravida!...


Nada pessoal!

O poder de trazer pessoas ao mundo, por muito tempo foi subjugado, mas hoje este poder começa a ser devolvido a quem (quer e) é de direito.

Os pingos voltam para os “is” e a humanidade tem a chance de evoluir.
A grávida é abençoada e mal tem noção do quão importante e gloriosa é.

Na relação mãe-filho está o segredo, principalmente nos primeiros instantes de vida, para a violência e para a “paz mundial”. Este período precisa ser vivido internamente. Há que se gostar de ser mãe. Não há porquê lamentar.

Filhos são muito mais do que meros perpetuadores de espécie e propagadores de genes. Filhos são a maior obra e oportunidade de crescimento de uma vida. E quem não amadurece nem assim, terá um longo caminho a percorrer...

Crianças têm o direito de mamarem em suas mães! Podem dormir onde se sentem mais seguras: com os pais! Devem nascer do esforço de suas mães e aparados por mãos delicadas e calmas. Precisam do conforto de um lar harmonioso, de uma gestação bela e de amor em abundância.

É por isso que os casais jamais deveriam se entristecer com a vinda de um filho. Os pais são os que mais ganham por trazerem ao mundo e cuidarem de seus bebês.

Por muito tempo, esta função social “gerar, parir, cuidar” foi desmerecida, mas não tem que ser assim.

Não tenha medo de mudar o mundo. Por algum lugar a mudança tem que começar. Que tal começar por você?

Um comentário:

Odara disse...

Dydy, estou com problemas na amamentação, gostaria de saber se vc pode me ajudar...

Minha filha vai fazer 3 meses na terça-feira, dia 28.. no começo demorou um pouco para pegar o peito, mas depois que pegou, não largou mais! Engordou 1.680kg em 1 mês, mamava muito!! Há umas 3 semanas, ela começou a recusar o peito, sempre q eu coloco na posição de mamar ela começa a chorar, me empurra, unha, vira o rosto, esconde e não quer de jeito nenhum! Eu insisto bastante, daí ela pega.. e quando ela começa mama, realmente estava com fome... as vezes mama muito, as vezes só 5 minutos... há 2 semanas eu levei no pediatra para ver se não era dor de ouvido ou algo de errado com ela.. ela estava com um pouco de sapinho na boca e ele falou q devia ser isso, pq doia pra mamar e ela podia estar recusando sentir dor.. mas ela sempre estava com a chupeta na boca e se doesse mesmo, nao iria chupar a chupeta, eu acho... passei o remédio e 3 dias depois nao tinha adiantado nada, ela estava pior ainda pra mamar e o sapinho nao tinha desaparecido. Entao levei em outro pediatra... ele passou outro remedio para o sapinho e examinou ela de novo e nao tinha nada de errado... 3 dias depois o sapinho tinha desaparecido completamente, mas ela continuava igual... voltei no pediatra, fizemos exame de sangue, urina, raio x do torax... nao tem nada, nao é infecção urinária e aparentemente está tudo normal, mas ela continua recusando o peito... estou desesperada pq ela nunca mamou em mamadeira e o q eu menos quero na vida é ter q dar leite artificial, sendo q eu amo amamentar e tenho muito leite, graças a Deus... vc tem alguma idéia do q possa ser? já viu algo igual? e o q eu posso fazer??? pensei q poderia ser trauma do peito por causa da dor... mas quando ela pega o peito ela mama... nao sei mais o q pensar! Obrigada... odarafagundes@yahoo.com.br